sábado, 5 de maio de 2018

Ser filha depois de ser mãe


No outro dia estava em casa e, sem pensar, exclamei um “Oh mãe!”. O meu namorado respondeu-me, a sorrir, “meu amor, agora a mãe és tu”. É verdade, agora a mãe sou eu. Pelo menos na casa onde vivemos. Mas porque é que será que ainda me sinto tão filha? 

Felizmente ainda tenho a minha mãe comigo e parte de mim continua a ser a menina da mamã. Falamos quase todos os dias, à noite. Ligo-lhe quando não sei cozinhar alguma coisa, quando tenho algum percalço ou para pedir algum conselho sobre a Mel, como se ela fosse a minha professora. Afinal, isto de ser mãe tem muito que se lhe diga e eu estou a aprender com a melhor - a minha. 

Mãe é aquela que nunca deixa de olhar para nós de forma diferente. Eu tornei-me mãe mas não deixei de ser filha. A minha mãe continua a olhar para mim com o mesmo amor e carinho, a preocupar-se comigo como quando era pequena. Dá-me sermões se ando mal agasalhada ou se não me ando a alimentar direito e ajuda-me em tudo o que preciso. Dá-me opiniões e conselhos, tenham sido eles pedidos ou não. Sabe tão bem continuar a ser filha depois de me ter tornado mãe. 

A verdade é que ainda preciso de colo e de um ombro para lamuriar, que isto de ser mãe não é fácil. Ou porque o dia correu mal, ou porque estou mais triste, ou simplesmente porque sim. Na realidade, tenho um bocadinho de saudades dos tempos em que era miúda e em que era só filha. É bom saber que há esse alguém que está lá para mim, independentemente de tudo o que possa acontecer. Alguém que me conhece como a palma das suas mãos e sabe o que penso e sinto de cor e salteado. Que me protege e defende contra tudo e contra todos. Seja eu pequena ou graúda. A minha mãe. Sabe tão bem continuar a ser filha depois de me ter tornado mãe. 

Obrigada e desculpa mãe. Por todas as noites sem dormir. Por todas as birras e respostas tortas. Por todos os medos choros e angústias. Já começo a perceber o que é isto de ser mãe e é só para as melhores. Feliz Dia Mami. 

Rita

Eu e a minha mãe

terça-feira, 1 de maio de 2018

Já chegou, já chegou!

Chegou aquela altura do mês em que sou sempre surpreendida - recebemos a nossa Mimobox! O mês passado disse que tinha sido a minha preferida até ao momento (encomendei a Mimobox de grávida pela primeira vez) mas confesso que esta não ficou nada, nada atrás!

Voltámos a receber a Mimobox de mãe e bebé (para miúdos até aos 3 anos) e veio com ótimos mimos para nós as duas. Como sempre deixei a Mel abrir a caixa - adooora ser ela a fazê-lo - e a descobrir as novidades que vinham lá dentro. 



A Mel recebeu dois pacotinhos de fruta Naturnes bio - uma novidade da Nestle que ainda não tínhamos experimentado e que a Mel não tardou a (a)provar. Depois recebeu uma pomada muda fraldas, uma pasta de dentes, dois brinquedos para o banho e duas embalagens de 500ml da Corine de Farme: uma de champô e outra de água micelar. Este é um bom exemplo de como na Mimobox não vêm "miniaturas" mas sim produtos de tamanho real! Estou curiosa para experimentar este champô 2 em 1 com acondicionador porque a Mel tem já um cabelão que começa a custar a pentear depois do banho. 




Já eu, recebi uma embalagem dos novos Fruut - palitos de maçã, uma Caja Roja da Nestle de chocolate negro - adoroooo - e montes de canetas BIC. Fiquei super contente. Estão a ver o drama alheio das meias desaparecidas? Comigo são as canetas. Estou sempre a comprá-las e acabam sempre por desaparecer todas misteriosamente da carteira, como se tivessem vida própria. Para além de me darem imenso jeito, são mega giras e vêm em cores diferentes do habitual - prateado e dourado (não só por fora, são mesmo desta cor!). 


Basicamente já estou a contar os dias para recebermos a Mimobox de Maio.... que desta vez será para mim e para o bebé que aí vem. Tenho que dividir o bem pelas aldeias, não é?! Até lá vou espreitando as marcas que virão, para matar a curiosidade. Para quem não sabe, a Mimobox é uma caixa de mimos que todos os meses contém novidades para a mãe/grávida e para o bebé (até 3 anos de idade). Cada Mimobox custa 22€ mas contém produtos com valor superior a 40€! Ou seja, poupamos e ao mesmo tempo aproveitamos para descobrir e experimentar marcas e produtos novos. Também é possível subscrever a Mimobox por três ou seis meses e aí o valor final acaba por ser mais económico. Podem descobrir mais informações ou encomendar em aqui

Rita

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Já se sabe o sexo do bebé!

Esta sexta-feira faço 20 semanas de gestação, o que traduzindo por miúdos quer dizer que estou a meio da gravidez. Metade já está, falta a outra metade. Coisa pouca... é o verãozito todo pela frente com as pernas inchadas, a barriga a crescer, as dores de costas e os calores. Uff. Pior que isso só mesmo a ausência do álcool. Os cocktails, as sangrias, os mojitos... nem vale a pena uma pessoa falar nisso agora. 

Bom, mas hoje o post é sobre o sexo do nosso bebé! Na última ecografia que fizemos já deu para ver se é menino ou menina! E.... nós não queremos saber! Tal como decidimos fazer na gravidez da Mel, desta vez também queremos que seja surpresa e por isso vamos esperar até ao parto para descobrir se teremos um rapaz ou uma rapariga. Neste momento é um kinder surpresa, vá!

Os mais ansiosos são sem dúvida a família e os amigos, que vão fazendo apostas e falando em tentativas de suborno à obstetra. Mas não têm grande remédio senão esperar. Já eu confesso que desta vez estou um bocadinho mais curiosa mas não o suficiente para querer saber. A verdade é que adoro surpresas e acho mesmo emocionante e especial descobrirmos o sexo do bebé no momento do parto - cada um com a sua mania, verdade? Para mim tem todo o encanto. Claro que esta decisão foi discutida com o Mr. Right, porque tinhamos que estar os dois de acordo. Bastava ele querer saber o sexo que a coisa não ia funcionar, ao longo dos nove meses ia acabar por haver algum desleixo. Mas ele também não se importa. Nenhum de nós tem uma preferência significativa. Seja menino ou menina, o que nos interessa verdadeiramente é que nasça com saúde - e que durma bem à noite! Ahahaha. Só essas duas coisinhas, nada mais. 

Rita

Cartas de gravidez "Bebé a bordo" da Babies & Love






segunda-feira, 23 de abril de 2018

O nosso ritual do banho

A Mel toma banho à noite, antes de ir dormir. Prefiro mil vezes assim, vai para a cama lavadinha e fresquinha depois de um dia de creche e de muita brincadeira. De manhã também é muito mais prático porque acorda e é só vestir, beber o leitinho e está pronta para sair (quase que é tão simples assim como eu acabei de descrever ahahah)! 

Neste momento estamos na fase do não querer ir tomar banho. Jantamos, brincamos e depois lá lhe pergunto: "Mel, vamos tomar banho?". Ela olha logo para mim e diz muito convicta "não." A expressão dela é tão engraçada que tenho que esforçar-me para não me rir. Diz que não quer, não quer, mas lá a convenço a ir para o quarto. Depois de a despir já começa a ficar mais entusiasmada e vai pelo próprio pé para o banho. É então que começa a festa! 

Dou-vos a conhecer a nova panca da Mel: comer gel de banho e beber água (da torneira). Aí em casa a pequenada também faz isso? Ela não só se põe a chupar a embalagem do gel como também tenta sugar toda a espuma que lhe vai ficando pelo corpo. Whaaat?! Como se não tivesse ficado satisfeita com o jantar, não sei. Ou então aquilo é mesmo delicioso. 



Cá em casa usamos a linha Mamãe e Bebê da natura. O gel tem ph neutro e é isento de parabenos. Ah, e muuuito importante, não arde nos olhinhos! Digo-vos que já devemos ter experimentado quase todas as marcas de produtos para bebé e esta é mesmo boa. 




A marca natura é brasileira, os produtos são produzidos lá, e depois a grande maioria é vendida em França (daí o rótulo estar em francês). Cá, descobri à venda através da Dayse Oliveira, que é revendedora - no final dou-vos o contacto!, mas também podem saber mais na página oficial Natura Portugal

Entretanto ao longo do banho a Mel vai-se distraindo com brinquedos e com o livro do gato Gaspar, que é próprio para o banho e inclui sons e tudo. Adora! 



Mas e depois a choradeira que é para sair do banho? Portanto nunca quer ir tomar banho mas depois para a tirarmos de lá é uma desgraça. Nem quando a água já foi toda pelo ralo abaixo a miúda desiste. Lá a convenço a sair "como uma adulta" pelo pé dela, um de cada vez, e a dar-me a mão. Pego nela e enrolo-a na toalha, bem juntinha a mim - há sensação melhor

Limpá-la ou tentar apanhar um polvo no mar deve ser mais ou menos a mesma coisa. Levamos ali com pernas-tentáculos em cima de nós que é uma coisa maluca. Só acalma quando lhe mostro o creme. Porquê? Porque também o quer COMER. O creme hidratante que usamos também é da natura. É fácil de espalhar e tem um cheirinho ótimo (quando acorda no dia seguinte ainda se sente). 






Para a semana vamos de férias e vou aproveitar para a hidratar com ele depois da praia/piscina porque a pele fica mais sensível com a exposição ao sol. Coloco-lhe sempre creme com especial atenção nas mãos e na cara porque ela tem tendência a ficar com a pele mais seca nessas zonas. 

E aí por casa, como funciona o vosso ritual de banho?! Contem-me tudo! Também há birras? E devoradores de produtos de higiene pessoal, têm? Eheh. Se quiserem experimentar os produtos da natura - recomendo muito! - deixo-vos a página de facebook da Dayse e o contacto 912052421 ou o email pnaturaemportugal@gmail.com. Nesta linha Mamãe e Bebê Flor de Laranjeira existe ainda a Colónia e o Óleo de Massagem! :)

Rita

sábado, 14 de abril de 2018

A refeição baldas

Todos os dias preparo o jantar para a Mel. Quase sempre come sopa, prato principal e fruta mas não sou totalmente rigorosa. Por vezes gosta tanto da sopa que pede mais e acaba por não ter apetite para comer a comida. Sem problema. Outras vezes descubro que não tenho legumes suficientes para fazer a sopa e adio-a para o dia seguinte. Sem stress. Ou então vamos jantar a casa dos meus pais e para ser mais prático come só prato principal. A excepção não estraga a regra e o que interessa é que sei que vai crescer com os hábitos alimentares que lhe queremos transmitir. 

Algumas vezes jantamos os três juntos, mas na maioria dos dias estou sozinha com ela em casa e, por isso, cozinho para as duas e comemos juntas. Naqueles dias mais difíceis - as famosas birras, vocês mães e pais sabem do que falo - prefiro jantar mais tarde, depois de a deitar. Gosto de ir variando o "menu" do jantar, um dia peixe, outro dia carne. E uma vez ou outra cozinho um prato vegetariano, porque não... Já aconteceu várias vezes o jantar ser o famoso rédon (nome chique para "restos de ontem", como chamamos em casa dos meus pais). E sabem que mais? Às vezes a comida até fica mais gostosa! E que bom que é só termos o trabalho de clicar no botão do microondas! 

Ontem nem isso tinha. Cheguei a casa com a Mel por volta das 20H. Ela estava bem disposta mas cansada depois do dia na creche e eu, para ser sincera, queria era aproveitar aquele bocadinho para estar com ela em vez de cozinhar. Deixei-a entretida a fazer desenhos e fui espreitar o frigorífico. Deparei-me com uma sopa que achei já um bocado passada e não quis arriscar dar-lha. Sim, eu sei que posso congelar a sopa mas prefiro ir fazendo pequenas quantidades e sempre fresquinhas. Olho para o relógio e eram 20H30. Já era tarde para ela e não tinha ponta de ideia do que cozinhar, nem vontade para ser sincera. Durante a semana não gosto de me esticar no horário do jantar porque ela fica cansada mais cedo, depois do dia inteiro de escola, e por volta das 22H está a dormir. Pronto, vamos lá fazer uma refeição baldas. Fui buscar tudo o que precisava à despensa: atum, feijão frade, milho e pepino. Para quem acha que não é uma refeição em condições, pensem neste prato como uma Salada de Atum Desconstruída (agora está na moda usar o termo "desconstruído" para reinventar os pratos típicos, certo? Ahah). Sabem que mais? Ela adorou, ficou satisfeita e lá comeu os seus moranguinhos no final. Não me preocupei muito porque, mais tarde, antes de dormir, bebeu o seu biberão de leite. É sempre algo que lhe conforta o estômago antes do sono e acaba por compensar alguma refeição que tenha ficado mais "incompleta" (seja por uma birra à hora de jantar ou outro motivo qualquer). 

E aí em casa, já fizeram refeições baldas? Partilhem lá e não me façam sentir mal ;P

Rita

Prato da B de Amor



sexta-feira, 13 de abril de 2018

Estou grávida e tenho gatos, e depois?

Tenho dois gatos: o Koy e o Ziggy. Se bem que um mais parece um cão. O Ziggy cava vasos de terra e vai para o nosso terreno horas a fio. Sai de casa de manhã e volta à noite, sem sabermos o que andou a fazer o dia inteiro. É um gordo autêntico, ao estilo do Garfield e, pois claro, adora comer. Têm um pêlo grande e comprido, lindo lindo, e passa a vida cheio de rastas. À noite vem sempre para o meu colo enroscar-se a mim, a pedir mimo. Fica lá uma ou duas horas. Se paro de lhe fazer festas, lá me dá umas turras. Tem olhos cor de âmbar. O Koy é o lord, o rei da casa. Antigamente era só ele e o Mr. Right. Talvez por isso seja o mais "anti-social". Viu-me chegar a mim, ao Artur, ao Ziggy, à Mel... e agora vem aí mais um bebé. Teve que levar com este bando todo, não é fácil. É igualmente lindo, de olhos amarelos. É magrinho! - eu chamo-lhe anorético na brincadeira porque é o único dos dois que volta e meia vomita aquelas bolas de pêlo (que no caso dele nunca são bolas, são uns tufos compridos). E vomita-me sempre aquilo onde? No tapete. Com taaaanto chão pela casa para ele tratar do assunto, ele escolhe sempre o belo e limpo do tapete. Enfim, avancemos. 

Quando engravidei da Mel comecei a ouvir que a gravidez e os gatos não são compatíveis. Ao que parece não podemos ter os gatos perto de nós porque são um mau presságio. Até podemos correr o risco de abortar se tivermos um gatinho em casa. Não podemos pegar neles ao colo porque pode fazer mal ao bebé! Bom, e é por essas e tantas outras tretas que muitas pessoas sofrem por antecipação e pensam - e infelizmente algumas chegam mesmo a vias de facto - livrar-se dos seus animais. 

Pessoas grávidas que têm gatos, prestem atenção aqui por um segundo: vocês só correm algum tipo de risco se não forem imunes à toxoplasmose (infeção causada por um parasita, o Toxoplasma gondii). Se já fizeram o exame no início da gravidez e são imunes, BOA! Têm uma data de coisas facilitadas na vossa gravidez! Não precisam de se preocupar com este tema, com carnes mal passadas nem com frutas e saladas fora de casa. Agora, se não são imunes - e voltando ao tema - o único cuidado que têm que ter é o de não mudarem a areia dos gatos. Se vivem sozinhas com ele(s), devem fazê-lo usando luvas e lavando as mãos logo de seguida. E nesse caso, durante a gravidez, então os gatos devem ser mantidos dentro de casa para evitar ao máximo a sua contaminação no exterior. 

E porque é que só corremos o risco de apanhar a infeção a mexer na areia dos gatos? Porque "a reprodução sexual deste parasita ocorre apenas nas células que revestem o intestino dos gatos. Assim, os ovos do parasita encontram-se nas fezes dos gatos" (retirado de saudecuf.pt). Se mesmo assim tiverem dúvidas, falem com o vosso obstetra. Não vamos alimentar mais mitos parvos, sim? Não vamos deixar que os nossos amigos de quatro patas sejam penalizados por algo que lhes seja completamente alheio. ATENÇÃO: Eu estou grávida pela segunda vez e compreendo perfeitamente que é muito complicado, bastante difícil até, estar tantos, TANTOS meses sem limpar a areia dos gatos. Mas nós mulheres, ao longo da gravidez já fazemos tantos sacrifícios, o que é mais um na lista? AHAHAHA. 

Rita 




domingo, 8 de abril de 2018

As nossas férias em Bali

Estou aqui para vos contar tudo sobre as nossas férias em Bali (aqui já contei como foi no geral esta experiência de viajar com um bebé para a Indonésia). Foi a primeira viagem da Mel e a nossa segunda ida ao sudeste asiático. Apesar dos nossos receios - afinal tratava-se da nossa primeira viagem a três - correu tudo na perfeição. Tão bem que para o próximo mês vamos partir para a nossa segunda aventura em família! Tal como na nossa ida à Tailândia, preferimos tratar de tudo nós mesmos e não falámos com nenhuma agência. Para férias de tudo incluído, como Caraíbas, vale bem a pena! Nestes casos, achamos que compensa mais comprar a viagem em separado e depois escolher a estadia por nossa conta. 

A Viagem 

Sem dúvida que a viagem de avião é a principal despesa destas férias. Os preços variam muito entre as companhias aéreas, a altura do ano em que se viaja e a antecedência com que se compram os bilhetes, mas conseguem comprar viagens a partir dos 600€. Apesar de ter sido uma viagem longa, tudo correu bem. A Mel dormiu durante a maior parte do voo, e no resto do tempo ficou entretida com bonecada e jogos. Viajámos pela KLM e fizemos escala em Amesterdão e Singapura. Escrevi um post com dicas para viajar de avião com um bebé aqui

O Local 

Bali tem tanta coisa bonita para ver que foi difícil escolher em que sítios iamos ficar hospedados. Ubud foi a nossa primeira escolha. A famosa cidade que acolhe os campos de arroz e villas agrícolas. Para além de outros tantos sítios bonitos a visitar. Ficámos lá a maior parte das férias e depois terminámos a viagem nuns dias junto ao mar, para fazer praia. Na zona da costa escolhemos ficar em Seminyak. Uma zona de praias, lojas, restaurantes - um sítio mais turístico portanto. Acabámos por nos arrepender da nossa escolha não pelo local em si mas pelas praias. Eram praias de grande areal, com muitos turistas e na verdade não chegámos a frequentá-las. Optámos por ir à praia de Nusa Dua. Uma praia com ar paradisíaco e tranquilo, daquelas que se vêem nos filmes. Se soubéssemos o que sabemos hoje, teríamos ficado hospedados nessa zona e poupado as viagens de carro à tal praia. 

A Estadia 

Se há coisa que prezamos quando viajamos, sobretudo agora com a nossa filha, é o conforto. Pensámos muito bem nas várias hipóteses de estadias e descartámos logo o típico hotel. Como a Mel tinha pouco mais de um ano eu queria ter a possibilidade de cozinhar para ela. Pesquisámos no site Booking várias opções de aparthotel e descobrimos que em Bali são muito comuns as Villas. São uma espécie de bungalow com zonas interiores e exteriores e algumas delas com opção de piscina privativa. Estivemos a estudar preços e optámos mesmo por essa opcão: uma villa com quarto, casa de banho, cozinha, sala de estar e piscina privada. A cozinha e a sala eram no exterior, o que dava um ar super exótico ao sítio. E porque é que quisemos piscina privada? Porque a Mel dorme todos os dias a sesta e assim ela poderia estar a descansar no quarto e nós a usufruir da piscina tranquilamente (sempre a espreitá-la pelo monitor, que levámos connosco na viagem). Isto tudo para além da questão da privacidade e conforto de termos a piscina só para nós. Posso dizer-vos que em cada villa que ficámos - Ubud e Seminyak - pagámos cerca de 100€ por noite, com pequeno almoço. Basicamente o que se paga em muitas zonas de Portugal por uma noite de hotel (no Algarve até deverá ser mais caro). No entanto, volto a dizer-vos que ficámos em sítios maravilhosos. As estadias em Bali podem ficar bem mais económicas, desde 20€ por noite (com opções de quarto e casa de banho privada). Em Ubud traziam-nos todas as manhãs o pequeno almoço ao quarto (escolhiamos o que queriamos comer  e a que horas no dia anterior); já em Seminyak vinham cozinhar-nos o pequeno almoço na cozinha da nossa villa, todas as manhãs (também decidiamos o que queriamos comer e a que horas). Deixo-vos algumas imagens da Kamajaya Villas, em Ubud (vou usar fotografias do site mas garanto-vos que é tudo tal e qual como está nas fotos:

Sala e piscina

Pedimos um berço para a Mel
A casa de banho tinha banheira e duche (existia ainda um duche com água quente na zona da piscina)

Piscina com vista para a sala e a cozinha

Bermimpi Bali Villas, em Seminyak: 

Aqui também pedimos o berço para a Mel

A decoração era capaz de ser um bocadinho too much mas estávamos super confortáveis

Cozinha, sala e piscina


Os Passeios

Tal como em todas as férias que fazemos, antes da viagem pesquisámos os locais que gostaríamos de visitar. Ficámos logo encantados com os campos de arroz mas Bali é muito mais para além disso. Depois de investigar um pouco decidimos que não era muito seguro alugar carro (a condução lá não é como aqui, vamos dizer assim) e por isso decidimos contratar carro com motorista para alguns dias específicos, incluindo transfer de e para o aeroporto. Lá é uma prática muito comum entre os turistas, o carro com motorista. Nós fizemos a reserva antes mesmo de viajar mas, mesmo lá, em todo o lado há motoristas disponíveis e prontos para vos levar onde quiserem (com a possibilidade de combinarem outros dias/passeios durante a estadia). Encontrámos ótimas referências do nosso motorista, o Wayan, na internet - num blog de viagens e também na sua página de facebook. Para quem estiver interessado, deixo também o contacto dele 006282247256567 (usámos o whatsapp para comunicar com ele). Ele cobrou-nos 40€ por dia, que incluía carro com ar condicionado (importante!), combustível e "conversa" como dizia ele. Para além de motorista foi o nosso guia (explicou-nos tudo sobre Bali e respondeu a todas as nossas questões e curiosidades) e fotógrafo pessoal! Era muito simpático com a Mel e foi sempre super porreiro connosco. Reservámos o carro para no total quatro dias da nossa viagem, em Ubud e Seminyak. Dos sítios que visitámos poucos foram os que pagámos entrada e mesmo nesses o valor era simbólico (2 ou 3€). 

Deixo-vos agora os sítios que visitámos em Bali (escolher apenas estas fotos foi uma tortura, sou daquelas que esgota com os cartões de memória eheh): 

Tegallalang Rice Terraces


Há imensos campos de arroz para visitar em Bali (para além dos milhentos à beira de estrada). Escolhemos visitar o Tegallalang, um dos mais conhecidos.

Sempre colada a mim na Ergobaby


Monkey Forest 

A Mel adorou ver os macaquinhos - eu é que estava aparovada! Ahah

Aviso à navegação: não levem comida! Eles ainda "atacaram"
o carrinho da Mel atrás dos snacks dela

Aquele pequeno momento de pânico

Mãe e filho

Goa Gajah 

A preparar os cestos das oferendas - tão bonitos!



A famosa "gruta" que, com muita pena minha, estava toda decorada para as festividades

Bali Swing

Só fui eu, o Mr. Right acobardou-se...
Das melhores experiências da minha vida!

Tirtagangga Water Palace

Um dos sítios mais bonitos onde já estive. 

Pudemos nadar nas "piscinas" do Palácio

Nusa Dua Beach

Aquela praia paradisíaca e praticamente vazia!

Foi a primeira ida à praia da Mel!

Adorou a água de coco!

Durante a maré vaza

Tanah Lot Temple 



Um dos inúmeros templos de Bali, junto ao mar.



Butterfly Park

Adorámos vê-la toda encantada com as borboletas! 

Tantas espécies lindas!


Para além disto visitámos o Art Market de Ubud, assistimos a um espetáculo de dança típica balinesa e tivemos uma aula de culinária com a Subak Cooking Class onde aprendemos a fazer os principais pratos da gastronomia balinesa! 

Visita a um mercado local (sem turistas) para fazer as compras para a aula de culinária


O meu almoço todo cozinhado por mim!

Um dos momentos mais bonitos do espetáculo

Barracas, barraquinhas!


Estilo de vida 

Na Indonésia é tudo muito mais barato que em Portugal. É possível fazer refeições económicas por uns 5€ mas também encontram restaurantes "luxuosos" em que pagam uns 40€ por pessoa. Muitas vezes chegámos a encomendar comida e pedir que entregassem na nossa villa - eles têm vários menus de restaurantes à disposição - em que cada refeição ficava por cerca de 5€. As massagens são outro exemplo do quão económico é gozar Bali ao máximo. Nos "spas" da rua podemos fazer massagens de uma hora por 4-5€. Como estávamos com a Mel, demo-nos ao luxo de pedir que nos viessem fazer as massagens à villa, enquanto a Mel dormia a sesta no quarto. Esse tipo de serviço custou-nos 10€ por pessoa, imaginem! 

Espero que tenham gostado do post e quem sabe vos seja útil no futuro. Se tiverem alguma dúvida, estão à vontade para enviar mensagem! Boas viagens :)

Rita


...
Continua a acompanhar o blog no Facebook aqui e no Instagram aqui 💛 
Entretanto, sê feliz como eu, entre fraldas e mojitos!